Avatar: falta história e sobra computação gráfica

postado por Andreia Santana @ 4:17 PM
04/01/2010

avatar-2Avatar é um excelente filme do ponto de vista técnico. O cinema como conhecemos não será mais o mesmo, em termos de alta tecnologia e efeitos especiais, depois da mega produção de James Cameron. Avatar também tem uma história boa, preocupada em passar uma mensagem ecologicamente correta em tempos ambientalmente tão caóticos. Os cenários são de tirar o fôlego, é a computação gráfica elevada a níveis ainda não experimentados. James Cameron é mesmo pioneiro, disso ninguém duvida, e seu filme já entrou para a história dos grandes feitos tecnológicos do século XXI. Por isso, não vou dizer que Avatar é só tecnologia de ponta e pronto, porque seria desrespeito com os milhares de expectadores que assistiram ao filme até agora, elevando-o à quarta maior bilheteria da história, segundo essa matéria aqui da agência internacional Reuters, publicada no Cineinsite.  Não é só tecnologia de ponta, mas fica muito aquém do grande filme que poderia ser.

Se é mesmo a quarta maior bilheteria de todos os tempos? Não sei. Os fãs de Harry Potter certamente dirão que é injusto a franquia não estar na lista dos cinco primeiros. O último ranking que publiquei aqui no blog me deu dor de cabeça e deixou alguns leitores bem zangados. A lista da Super Interessante elenca as 100 maiores bilheterias de todos os tempos, claro que, como toda lista, é subjetiva e leva em conta algumas variáveis escolhidas pelos seus autores e que, óbvio, não agrada todo mundo. Fruir cinema é antes de mais nada, o gosto de cada um. Sempre vai ter quem adore, até idolatre filmes como Avatar. E sempre vai ter aquela parcela que torce o nariz para o excesso de tecnologia e a falta de um excelente roteiro e de uma história que arrebate sem lançar mão de tantas camadas de efeitos especiais ou de fórmulas piegas, de emoção barata. No meio dos dois extremos, haverá aqueles que reconhecem o mérito tecnológico – o que não é pouca coisa numa sociedade capitalista em que arte e indústria se confundem -, mas desejam algo mais, como eu. E ninguém estará 100% certo ou 100% errado nesta questão, porque ela é pautada pelo gosto, pelas preferências – e referências – pessoais, artísticas, históricas de cada um.

avatar

Assisti Avatar com meu filho. Ele curtiu, mas se o perguntar qual foi o melhor filme que assistiu em 2009, Avatar não estará no topo da lista, embora talvez conste do seu ranking pessoal dos dez mais do ano. Particularmente, fiquei impressionada com a magnanimidade da produção e por tabela, da indústria cinematográfica. O filme é realmente impactante do ponto de vista da tecnologia, mas não me traz nada de novo em se tratando da técnica de fazer cinema do ponto de vista da narrativa e da realização autoral. Tem a marca de James Cameron como diretor afeito aos mega projetos e aos melodramas. Os enquadramentos são de tirar o fôlego, mas é o computador quem faz boa parte do trabalho. Sinto falta do olhar humano do diretor, da sua sensibilidade mais pessoal e menos máquina. Sem que  a sensibilidade beire o patético (Titanic tem cenas patéticas). Há muitas formas de comover sem pieguice.

O filme é linear, bem parecido com os filmes convencionais e pouco criativos (que custam menos também). Em relação a forma de contar histórias, tem começo, meio e final feliz. Não digo que isso  é falta de mérito total, a maior parcela das plateias de todo o mundo gosta de filmes assim, redondinhos, sem sobressaltos na narrativa, com mocinhos e bandidos bem demarcados, com castigo para os cruéis e prêmio para os gentis. Eu até gosto de alguns filmes assim, confortáveis, mas nenhum deles custou meio bilhão de doláres. Tem filmes nesse formato que são até mesmo inesquecíveis. Mas, pessoalmente, ando mais exigente e por isso, do meu ponto de vista pessoal (afinal estamos em um blog), Avatar promete mais do que cumpre. A atuação do elenco é mediana. Até para Sigourney Weaver, veterana de filmes igualmente pioneiros na sua época (Alien, o Oitavo Passageiro, que eu gosto muito por sinal) o personagem não é realmente consistente. Aliás, ninguém no elenco é. Avatar mostra como fazer um filme de sucesso, do ponto de vista de grandes bilheterias, sem precisar que os atores atuem de verdade, basta arrumar um “avatar” e um cenário estupendo. Seria mais honesto se fosse todo feito em animação e todo passado unicamente na realidade virtual de Pandora.

Funciona bem em jogos de computador, provavelmente vai bater recordes de venda em jogos de realidade virtual, ou não, quem sabe? Mas acho que no cinema, funcionaria melhor se fosse menos megalomaníaco e durasse menos tempo. Em alguns momentos, a profusão de explosões e vôos rasantes em naves espaciais cansa, dá claustrofobia e não altera em nada o resultado da história. Como diz um personagem de William Hurt em filme que assisti esta semana na tv: “em se tratando da arte de contar boas histórias, menos é sempre mais”.  Ou seja, simplicidade e criatividade podem andar de mãos dadas, devem, mas sem que as tintas sejam carregadas a ponto de comprometer o objetivo final de todo bom filme, que é de impactar pela força da história.

Tentei fazer um exercício: retirar toda a alta tecnologia e ficar só com a história neste filme em particular. Vi que Avatar não conta nada de tão novo assim, com exceção de colocar os humanos na posição de vilões e os extra-terrestres na de mocinhos, o que já foi feito em outras produções bem anteriores e com menos efeitos especiais. Avatar é bonito visualmente, sim, com toda certeza. Mas paisagem grandiosa por paisagem grandiosa, prefiro a saga de O Senhor dos Anéis e aqueles campos e montanhas de sonho da Nova Zelândia, que reproduzem – na visão de Peter Jackson – a Terra Média idealizada por J.R.R. Tolkien.

Pelas promessas feitas, esperava mais de Avatar. Não do ponto de vista dos efeitos, isso o filme tem o suficiente, mas aguardava mesmo uma história que comovesse. Não necessariamente que fizesse chorar, mas que incitasse discussões após a sessão. Vi muitos embasbacados com os efeitos, mas tão decepcionados quanto eu com a história em si. De qualquer forma, o caminho dos efeitos bombásticos dá lucro e a indústria faz filmes para lucrar e não comover meia dúzia de nostálgicos (eu, inclusive). A experiência serviu para comprovar minha teoria de que o que faz um filme realmente inesquecível, ao menos para mim, é a história contada, a essência que perdura após serem removidas todas as camadas de maquiagem. De zero a dez, dou sete e creio que está bem pontuado. Como diz minha sábia irmã, “muito mais jogo assistir uma boa produção de Woody Allen, dura a metade do tempo, mas você sai do cinema com a sensação de que algo mexeu nas entranhas e vai ficar para sempre na memória”.

Tags: , , , , , , , ,

50 Respostas para “Avatar: falta história e sobra computação gráfica”

  1. larissa witoria  Says:

    o filme e realmente incrivel, eu assist duas vezes uma na estreia e outra em 3D com certeza o melhor filme q eu ja assist em meus 14 anos de vida… nele há tudo q um bom filme tem q ter: romance, ação, lição de moral, efeitos, história é um filme praticamente universal vai ser dificil achar quem ñ goste dessa super produção

  2. Douglas  Says:

    como vc disse cara cinema é assim mesmo , cada um tem seu gosto e felizmente vc é minoria , mas sua opinião é muito respeitada do ponto de vista da historia onde ela não lhe acrescenta em nada , realmente existem muitos filmes com essa linguagem .
    o que eu queria ressaltar é que o filme Avatar vai entrar para historia com a sua estupenda computação gráfica e com sua historia arrebatadora , claro para quem se deixa levar pela historia e não fica analisando pedaços por pedaços, particularmente amei esse filme me envolvi de uma forma q a muito tempo não me envolvia e tenho certeza que esse filme ficara nas memórias de milhões de pessoas por muito tempo.

  3. Douglas  Says:

    desculpe com o cara , li o nome errado

  4. Patricia  Says:

    Comecei a ler seu comentário e nem terminei. Parei quando vc disse que gostarian de ver o sentimento do autor. Vc realmente não conseguiu ver o sentimento do autor nesse filme??? Aliás em um filme não é apenas o sentimento do autor que está em jogo mas também o sentimento que tráz a quem assiste. Foi através de toda essa tecnologia que pude ver de forma emocionante os erros que nós (como governo e governados) cometemos até hoje destruindo culturas em nome do dinheiro.

  5. Sanderley Vitalino  Says:

    Não concordo com quase nada do que você disse.
    Você está muito equivocado com essa afirmação.
    “Avatar mostra como fazer um filme de sucesso, do ponto de vista de grandes bilheterias, sem precisar que os atores atuem de verdade, basta arrumar um “avatar” e um cenário estupendo. Seria mais honesto se fosse todo feito em animação e todo passado unicamente na realidade virtual de Pandora.”
    Aff, você não assistiu o filme? Tudo bem que as personagens não são das melhores, assim fazendo os atores não tendo que aturar muito. Mais as atuações (por meio de capitura de atuação) dessa nova tecnoliga é absurdamente realista.

  6. Jonanthan  Says:

    Eu discordo totalmente. Para mim Avatar foi um filme excelente, inclusive a história, melhor impossível. Se a história do filme fosse ruim ele não seria a 4ª maior bilheteria de todos os tempos em menos 17 dias. O filme está fazendo grande sucesso porque é bom. E a expectativa é que o filme termine pelo menos sendo a 2ª maior bilheteria de todos os tempos.

  7. Avatar (:  Says:

    discordo de tudo o que voce disse :S esse filme foi muito bom mesmo e voce nao sabe o que esta dizendo ¬¬ ‘Seria mais honesto se fosse todo feito em animação e todo passado unicamente na realidade virtual de Pandora.’ PARA DE SER TOSCO , SE O INTERESSANTE É VER O OUTRO MUNDO , COMO SE FOSSE DE VERDADE , QUAL GRAÇA TERIA SE NAO TIVESSE ESSA ALTA RESOLUÇÃO GRAFICA ? ‘ Em relação a forma de contar histórias, tem começo, meio e final feliz.’ VOCE TA PRECISANDO ASSISTI O FILME NOVAMENTE ¬¬ COMO QUE O MEIO DO FILME É FELIZ ? MOSTRA A DESTRUIÇÃO DE PANDORA , NAO É A TOA QUE NINGUEM ENTRA NESSE BLOG –’ ESCREVE COISAS MELHORES , QUEM SABE ALGUEM DA UMA PASSADA AQUI :X

  8. Avatar  Says:

    Critico… sempre a procurar o mal em coisas boas, porque não tenta fazer um filme seu?

  9. Erick  Says:

    O Filme é muito bom, você que não entendeu, acho que a opinião de 255 milhões vale mais que a sua…

  10. ricardo  Says:

    acho q a historia realmente nao foi uma preocupacao tao grande…mas pode (e deve) sim causar algumas discussoes, afinal e’ uma historia real em todo mundo (carajas por exemplo, so que no filme os indios ganham…).

    boa avaliacao!

    abraco

  11. MArcela  Says:

    Acabei de assistir o filme de Avatar – o mais comentado de 2009. E também li a crítica da autora do blog. Concordo com algumas palavras, como o filme ser voltado apenas para a biheteria, como as grandes produções. Claro que Hollywood não se preocupa em emocionar ninguém, mas sim em tirar o fôlego e principalmente o dinheiro de grandes platéias. Aliás, o cinema está tão caro que daqui a uns anos será privilégio de poucos, se já não o é. Mas enfim, sai do cinema pensando como um filme, mesmo que melodrámatico e linear pode nos mobilizar a pensar como vivemos. Sua linguagem ágil e fácil permite a muitas pessoas o deslumbramento apenas com os efeitos tecnólogicos, que penso ajudar a apropiação do filme, afinal estamos inseridos em uma sociedade altamente visual. Mas a narrativa também deixa margens a pensar um turbilhão de coisas. Talves a principal delas, uma sociedade como avatar. Que para evoluir é preciso retomar aspectos da comunidade tribal. Resgata valores de comunidade, de comunhão com os animais e um sobrevivência equilibrada do homem. Todos estão interligados em uma rede. Como na produção de WAll-e não muito bem divulgado. Talvez os seres humanos precisem recomeçar do zero. Desse modo, apesar de uma narrativa maniqueista, podemos interrogar de que lado estamos? E pensar se daqui pra frente deveremos assumir essa posição mais radical. Do lado do coletivo ou do lado da exploração, do dinheiro. Talvez o que falta são telespectadores preparados para receber essa obra, marco na história do cinema e tratar sua narrativa apesar de linear, como uma grande interrogação sobre a sociedade em geral e o homem. Talvez devessemos formar telespectadores preparados e não passivos para exigir obras de melhor narrativa. O que vimos hoje que não enchem as bilheterias de todos os países. Basta ver os ranguis de bilhetaria, apenas os filmes mais baratos em relação a história e cheios de explosões e violênicas estão em primeiro lugar. Devemos parar e receber essa obra histórias, reconhecendo suas insuficiências, mas também reconhecendo suas interrogações do ponto de vista da apropriação. E aqueles que saem dislumbrados com tanta tecnologia. Coitados, eles não sabem o que fazem!!

  12. Pedro Lopes  Says:

    Na minha opinião, Avatar não é assim um filme decepcionante do ponto de vista do enredo. Ainda mais: penso que há muito mais no filme do que o que se vê em primeira vista. Penso que esse é um daqueles filme que precisamos ver duas vezes pra entender direito a mensagem.

    Outra coisa que constatei e que achei muito má foi que as traduções realizadas nas legendas de Avatar legendado não casam completamente. Há pequenos detalhes que elas escondem, e que quem compreende inglês nível intermediário consegue perceber muito facilmente.

    Acho que Avatar não tem sido um dos campeões em bilheteria à toa. São mínimas as falhas do enredo. E mais: um filme não precisa ser mais complexo do que a Andréia diz. Uma história cômoda cabe muito bem nesse tipo de filme, que simplesmente mostra a nossa natureza selvagem, mais selvagem do que os próprios Na’vi, que eram considerados selvagens pelos humanos. O filme, sinceramente, me levou a “me unir à causa dos Na’vi”, o que muitos consideram como uma “traição” mesmo. Tenho um amigo que viu o filme e ficou totalmente desiludido com Jake (e posteriormente comigo), por não ter se mantido na causa dos Humanos.

    Bom, essa é minha opinião.

    Um grande abraço, Andréia. Feliz Ano Novo!

  13. Norman  Says:

    Puxa vida, você é coerente no que escreve, mas usa um recurso argumentativo absurdo, (que nem é um argumento, e sim uma pergunta retórica):

    “Tirando os efeitos de Avatar o que sobra?”

    Ora, o filme não tem a opção tirar efeitos visuais. Seria como eu perguntar:
    -Tirando o chocolate do bolo que sabor fica?
    -Sabor de nada
    -Então o bolo é ruim!
    -Mas o bolo continua com sabor de chocolate…
    -Não interessa, se tirasse ia ser ruim…!!!

    Avatar é visual… o roteiro é simples? É. Eu assistiria com o com desligado e continuaria achando bom.

    Cinema é várias coisas, mas principalmente uma experiência visual. Ué, o cidadão não viaja até o Louvre pra ver a Monalisa?
    E as artes gráficas, píctórias, fotográficas. Elas tem roteiro? Não. E deixam de encantar por causa disso? Não. Avatar é lindo de se ver, e isso é valor. Se fosse só isso já seria melhor que 99% do que a cultura pop despeja por aí… Mas o filme ainda tem uma mensagem positiva, não que isso justifique o filme, mas é uma coisa boa a mais.

    Avatar é simples, e eu poderia levar minha avó, e meu filho sem constrangimento… Isso é valor!!! Um filme que não ofende.

    Enfim, já estou exagerando no tamanho do comentário. Abraço!

  14. Nara Lisboa  Says:

    Acho que vc não entendeu o espírito da coisa. Avatar simplesmente não pode ser classificado especificamente nem como aventura, romance, drama, ficção científica ou fantasia. Avatar é num só filme tudo isso. Para quê elaborar na história, se o cenário e todos os efeitos especiais são tão elaborados?! Simplicidade no roteiro e excesso nos efeitos. Está aí a genialidade de Avatar.

  15. ezequiel  Says:

    Parabéns. Você escreveu exatamente o que eu acho sobre avatar

  16. Lorena  Says:

    Concordo com você. Avatar é um filminho pra divertir, passar o tempo, tipo sessão da tarde. Impressiona na tecnologia, sim, mas a história é completamente previsível e batida.

  17. Andréia Santana  Says:

    Filmes são entendidos de acordo com a bagagem cultural de cada um Nara. Sinto falta de boas histórias mesmo em meio a grandes efeitos, é uma opção, é questão de gosto. Já você e milhares de outros leitores entendem a proposta de outra forma, o que também é válido e digno de respeito e assim caminha a humanidade, em meio a diversidade de opiniões. O bacana é que os estúdios de cinema fazem filmes para todo tipo de público, é aí que mora a riqueza do cinema enquanto expressão artística, a arte não tem limites. Um abraço!

  18. Andréia Santana  Says:

    Oi Norman, é uma opinião e não me considero especialista. Perguntas retóricas fazem a gente pensar, é exercício de filosofia e sem as perguntas retóricas pouco do conhecimento da humanidade teria avançado. Em nenhum momento do texto eu disse que avatar era ruim, eu apenas usei argumentos para provar meu ponto de vista – que você tem todo o direito de discordar – que é justamente: se avatar fosse mais que efeitos especiais, seria um grande filme, mas como ele é fantástico apenas nos efeitos, então para mim, é mediano. Usar efeitos e sacrificar a história é uma opção do diretor, mas não é porque o diretor escolheu fazer dessa forma que eu tenho de achar maravihoso, é meu direito e o de qualquer pessoa, tecer uma crítica e é seu direito ou de qualquer outra pessoa, discordar dela. O senso critico é inerente ao ser humano, jamais devemos abrir mão dele, porque é um exercicio que nos obriga a pensar e não a aceitar o mundo simplemente como ele é, porque é assim e pronto. Obrigada por participar e contribuir para o enriquecimento do debate.

  19. Andréia Santana  Says:

    Oi Douglas, sem problemas “cara”, este é um espaço democrático, desde que haja respeito e você foi muito respeitoso no seu discordar. Um abraço!

  20. Andréia Santana  Says:

    Oi Avatar, não sou critica de cinema, sou só uma jornalista que gosta de cinema e gosta de escrever sobre cinema. Fazer um filme meu? Taí, boa ideia, quem sabe no futuro não será você escrevendo a critica sobre o meu filme? Um abraço e obrigada por participar do debate

  21. Andréia Santana  Says:

    Oi Erick, entendi o filme sim, mas com certeza de uma forma diferente da sua. A opinião de 255 milhões de pessoas vale tanto quanto a sua ou a minha, nem mais, nem menos. São diferentes, nem melhores ou piores, só diferentes. Pense no quanto viveriamos numa sociedade chata se todos pensassem e agissem exatamente da mesma forma? Um abraço.

  22. Andréia Santana  Says:

    Avatar, você tem certeza de quem ninguém lê o blog? E todas as pessoas com ideias super bacanas que comentaram este post? A opinião delas é de ninguém? Pois eu respeito e aplaudo todos que comentaram, incluindo quem discordou do meu texto. Obrigada a todos pelas participação, podem criticar, concordar, discordar, só não vale ofender, porque aí o debate perde a função.

  23. viviane  Says:

    Muito obrigada por traduzir em palavras a minha opiniao sobre o filme. Concordo com TUDO q vc escreveu e achei delicioso perceber q nao estou sozinha.
    MUITO obrigada!

  24. Andréia Santana  Says:

    Prezados leitores do Cineinblog,
    Opiniões contrárias a da autora deste texto serão bem-vindas e respeitadas única e exclusivamente se forem expressadas sobre o filme e o texto em questão, ou sobre qualquer outro texto ou filme citados no blog. Ofensas pessoais, palavras de baixo calão, falta de educação, intolerância, preconceito ou qualquer outro tipo de coisa que fira o debate justo serão excluídos no momento da moderação. Não serão permitidas ofensas à blogueira ou aos demais leitores, por isso, critiquem, mas com gentileza. Aos que concordam com tudo ou com apenas parte do que digo sobre Avatar, obrigada. Aos que discordam, obrigada igualmente, pois estou aberta a outras opiniões que divergem da minha – isso faz crescer – desde que essas opiniões mantenham o bom nível. Afinal, somos todos civilizados não é?

  25. André Luiz  Says:

    É Andréia, acho que o roteiro não é o melhor de todos os tempos, mas também não achei dos piores. Realmente segue aquela ordem cronológica “hollywodiana antiga de mocinhos e malvados”, mas é o que motiva o filme. A mensagem do filme é emocionante quando trazemos ela para nosso cotidiano, extremamente reflexiva. Os efeitos, assim como matrix (que todos detestaram o roteiro) será lembrado durante muito tempo. Mas como já disseram, de uma forma geral, Avatar não seria a 4° maior bilheteria de todos os tempos se não fosse bom. Mas, Graças à Deus, cada um com sua opinião. Abraço.

  26. Avatar [2]  Says:

    Nada resume melhor ‘avatar’ do que dizer: Um espetáculo!
    Sinceramente, em resumo, acho que alguem ae precisa ir mais ao cinema, pois crítica como esta, ‘ta por fora’!
    Grato.

  27. Ailson  Says:

    Rídiculo seu questionamento. Como diz um dos colegas: “como vc nao viu o sentimento do autor?” Está explícito o sentimento dele o filme é um misto de tecnologia+história. Está perfeito, e uma prova é o sucesso de bilheteria. U$1.000.000.000 em menos de um mês de filme.

  28. Tha  Says:

    Assisti ao filme três vezes. Uma normal (dublada), outras duas em 3D (uma dublada e outra legendada). Gostaria de compartilhar minhas emoções ao ver o filme. Adorei mesmo. O James Cameron é um gênio. Imagine escrever essa história há doze anos atrás. O meio ambiente nem estava tão em alta nessa época. Isso mostra que o cara é realmente um visionário. Em termos de enredo, eu, particularmente, gosto de enredos simples, com começo, meio e fim (de preferência feliz). Afinal, entretenimento não é pra isso que serve? Tirar-nos dessa nossa realidade, que jaz sucumbida à violência, às tristezas, à falta de moral? Se for pra sair dessa nossa funesta realidade, que seja para uma outra bem mais atraente. Que sonhemos com um planeta tão colorido como Pandora. Que sejamos coloridos e conectados com a Mãe Natureza como o povo Navi. Que sejamos pacíficos e tenhamos orgulho da nossa gente. Que lutemos por causas nobres. Bom, é isso, amei de montão. Apaixonei-me pelo casal romântico. Adoraria viver nesse planeta e ter um namorado igualzinho ao Jakesully. Abraço a todos que fantasiam e que conectaram as mesmas emoções que eu senti. EU VEJO VOCÊS…

  29. Andréia Santana  Says:

    Oi Tânia, muito obrigada por compartilhar suas emoções. Tenho certeza que outros leitores do blog vão adorar! Um abraço.

  30. Andréia Santana  Says:

    Oi Ailson,
    Não acho que meu questionamento seja ridiculo da mesma forma que também não é ridículo o fato de milhões amarem Avatar. É questão de opinião e existem diversas pessoas, além de mim, que não têm medo de contrariar a maioria e dizer que achou o filme mediano e não genial como a maioria acha. O mundo é feito de diversidade de opiniões. Li muitas críticas elogiosas sobre Avatar e li outras parecidas com esta opinião que emiti, li até algumas bem piores, que nem reconhecem o mérito tecnológico e o pioneirismo do filme e de seu visionário diretor. Algo que não acho bacana nas pessoas é essa mania que elas têm de impor seu gosto para todos, como se fôssemos todos gêmeos, sem direito a voto ou opinião contrária. Até os gêmeos têm personalidades diferentes. Isso tem nome, chama-se ditadura. Numa democracia, as pessoas discordam, embora tenha mais peso a opinião da maioria que concorda, ainda assim, a minoria tem direito de se opor. Minha opinião contrária não vai mudar o fato de que avatar bateu todos os recordes e de que está em quarto no ranking das maiores bilheterias de todos os tempos, provavelmente vai chegar a primeiro. Ainda assim, para mim, o filme vale nota 7. Ninguém é obrigado a concordar comigo ou com qualquer outro leitor que tenha opinado contra ou a favor ao filme. Assim como ninguém tem o direito de achar que as opiniões alheias são ridículas apenas por discordarem da sua própria. Desse jeito, com tanta intolerância, nem a mensagem do filme, de um mundo pacífico e de povo conectado em uma mesma energia cósmica se salva. Isso prova que a humanidade ainda não está preparada para Pandora? Além disso, um mundo perfeito e pacífico não é criação de James Cameron. Existe um livro chamado Utopia, de Sir Thomas More, que fala justamente de um mundo assim perfeito como Pandora. Esse livro foi escrito no século XVI. Você também reparou que os Na´vi se parecem com os índios americanos que foram dizimados por espanhóis, portugueses e ingleses durante o processo de colonização? Talvez porque a história real seja mais impactante, Avatar não me comova tanto. Um abraço!

  31. jaqueline  Says:

    Sua fã de harry potter e acho que ja foi a melhor historia criada,mas avatar não deve ser ruim,é claro que a historia de harry potter é bem melhor,mas avatar tambem é bom.

  32. Silvia  Says:

    Prezada, se você acha a história pobre e previsível, realmente não entendeu nada. Abra a mente e o coração e poderá captar algo do que está acontecendo por aqui. Acorde!

  33. Guilherme  Says:

    Avatar é um filme visual mesmo, sem os efeitos nem teria sido feito. O que mais me incomodou ali na verdade foi a nota 7 e que vc parece que nao gostou dos efeitos visuais. Ainda assim acho que a tua ideia principal é bem verdadeira. Esse é um ”filme da Disney”, nao foi feito pra ninguem pensar sobre nada. Eles poderiam ter dado muito mais enfase no choque cultural em lugar do lado do bem e do mal como eles fizeram.

  34. Jandir  Says:

    Adoro filme de Ficção, porém gosto de outros gêneros com enredos mais elaborados: Filme policial, drama, comédia, épico e etc. Acredito que o filme em questão aqui “Avatar”, vem propositalmente nos passar uma estória que tenha linguagem acessível a todos os públicos, porque como já li em outras matérias, há uma preocupação dos estúdios de que o filme atinja não só o gosto dos americanos, mais do públicos de todo o mundo, afinal o retorno financeiro tem que valer a pena ao capital investido, e ao que se propõem um filme nesse estilo, e principalmente a estes cinéfilos intelectuais que entende de tudo sobre filmes, já era de se esperar uma trama como a que foi mostrada, não sei porque vão assim mesmo ao cinema para assistir esses filmes, será que são amantes incubados ou é só para procurar os defeitos?

  35. Neide Bitencourt  Says:

    Assisti AVATAR ontem! bem, acho que o filme bastante interessante, pois além da tecnologia que cria cenários tão reais (fico mesmo sem saber o que é real e o que é computação gráfica!) tem uma história legal. Particularmente gosto de filmes de final feliz (não teria graça se o fim fosse como Romeu e Julieta). O filme é uma mistura de ação, romance, tragédia…contempla assuntos como: ciência, guerra, poder, exploração, crença, religião, amor, meio ambiente, enfim…deu vontade de assisti de novo!

  36. Andréia Santana  Says:

    Oi Guilherme, a nota 7 é meu juízo de valor, meu gosto, não vai afetar em nada a bilheteria fenomenal de Avatar e nem vai mudar a opinião de quem gostou a ponto de dar um 10, por exemplo. Você não me entendeu: eu gostei dos efeitos visuais, gostei muito, é de tirar o fôlego mesmo, mas para mim, um filme é bem mais que visual, questão de gosto também, prefiro histórias mais consistentes e com menos explosões. Não estou tentando provar nada, apenas emito uma opinião porque encontro espaço para isso, assim como o comentário é o espaço do leitor registrar o que pensa (desde que com respeito e sem levar para o lado pessoal). Só concorda com uma critica, seja positiva ou negativa, quem quiser. E Jandir, os críticos de cinema (que aliás, eu não me considero uma crítica) e os cinélifos (amantes do cinema, me encaixo mais nesse grupo) vão ao cinema porque gostam de se divertir, mas também exercitam o olhar e a capacidade de opinar sobre alguma coisa. Se todo mundo vai e diz que é bom, ele quer ir também, quer ver se é bom mesmo, é normal. Críticos ou cinéfilos são meros mortais como qualquer outra pessoa. Vêem defeitos ou qualidades em filmes, como veriam em qualquer outra coisa, porque é da natureza humana avaliar e pensar um pouco sobre tudo, é para isso que fomos dotados de razão. Não é ofensa para os diretores de cinema o que os críticos escrevem sobre seus filmes, eles lêem, alguns gostam outros detestam, mas todos lêem, porque embora a gente discorde as vezes do que vê ou lê, é da natureza humana também, gostar de saber o que os outros pensam e comparar com suas próprias opiniões. Obviamente, James Cameron não vai ler este texto, mas vai ler outros, escritos por cinéfilos ou críticos americanos, que vão adorar, apenas gostar, ou até detestar seu filme. E ainda assim, Cameron continuará criando não é?

  37. Danilo Santos  Says:

    Cara, que filminho ruim….fui ver em 3d, e na primeira meia hora, voce pensa “cara que legal” mas depois…depois do impacto inicial vem uma historia cheia de clichês, num roteiro infantilóide (os fãs dos filmes da xuxa vão adorar…), com personagens esquematizados (mocinhos bonzinhos contra vilões malvados) e “mensagens” ecológicas de uma pieguice tosca…e pensar que se gastou tanto em tecnologia (antes tivessem gasto mais com um bom roteirista e um diretor menos mega-plus-ultra-super…vazio de idéias)…e a dancinha ritual dos smurfs, hein? e a bestafera que, de repente, fica “boazinha”, pra Smurfete montar nela e ir matar o moço malvado, hein? fala sério… Mas nem tudo está perdido, se voce tem menos de 12 anos vai adorar…boa diversão!

  38. Moça  Says:

    Ainda nao vi o filme, e confesso que estou com um pé atras (na verdade os dois), justamente porque imagino do filme o que vi escrito aqui no seu blog. Acho que nao vou me impressionar com o filme, mas com os comentarios que li aqui com certeza me assustei! Gente, respeito com a opiniao dos outros né, ainda mais por ser UM FILME, nao é nada que seja desrespeitoso a ninguem, então nao sei porque as pessoas se doem tanto! Avatar pode nao ser, mas a intolerancia de algumas pessoas é impressionante!

  39. Tavico  Says:

    Prezada Santana,

    Assisti ai filme Avatar assim q saiu no cinema e tive a mesma impressão que vc. Do ponto de vista tecnológico é perfeito e revolucionário, mas no que tange a enredo deixa a desejar……pois não acrescenta nada de novo. Muito pelo contrário me fez lembrar de grandes filmes da década de noventa como Dança com Lobos e O último do Moicanos……a história é demasiado longa e me deixou um pouco ancioso (aguniado) esperando o término do filme……mas não vou mentir que a cena em que o exército começa a destruir a aldeia dos Navy me deixou muito perturbado (emocionado) e ao mesmo tempo revoltado….mas o que eu mais gostei do enredo é que foi colocado o problema ambiental de uma forma muito simples onde qualquer criança consegue entender e fazer analogias a nossa realidade…..agora é só esperar o Avatar II e torcer pra eles melhorarem pelo menos um pouco a história porque os efeitos especias são sem comentários…..Abrçs e feliz 2010!!!

  40. Gregório  Says:

    Lendo o texto, finalmente achei alguém que concorda comigo!
    Avatar é fantástico do ponto de vista técnico, mas achei a história fraca pelo potencial que apresentava.

  41. bruno  Says:

    Você disse que o filme é linear. Steven Spielberg disse que Avatar “É o filme de ficção científica mais evocativo e incrível desde A Guerra das Galáxia”. Mas Talvez a senhora saiba mais sobre cinema do que Spielberg. No entanto disse: “não sou critica de cinema, sou só uma jornalista que gosta de cinema e gosta de escrever sobre cinema.” Sugiro então que escreva sobre o que realmente sabe, pois se falar sobre que não sabe, será o crítico o maior alvo de críticas.

  42. Lisboa  Says:

    Não tem história???!!!! Sinceramente Andrea me desculpe, mas acho que você deveria ver esse filme com mais calma e analisá-lo novamentel. Ele retrata muito bem o que os colonizadores fazem aos colonizados. Sinceramente acho que você deveria abrir mais seus horizontes e também ler mais críticas de filmes na internet, pois tanto aqui no Brasil como no E.U.A ele só tem recebido elogios. Bom, mas de qualquer forma é a sua opinião e devemos respeitá-la como qualquer outra opinião aqui documentada.

  43. Andréia Santana  Says:

    Mas o objetivo da crítica é discutir o filme Bruno, você não me conhece pessoalmente, conhece um texto meu no blog, que não te agradou porque você tem uma visão diferente, mas acha mesmo que pode julgar o que sei ou não fazer com base nisto? Não me considero melhor nem pior que Spielberg, somos diferentes. Até porque, ele é cineasta e minha profissão é outra. Como disse o leitor Lisboa aí acima, é minha opinião, mesmo discordando dela, é preciso respeitá-la, assim como devem ser respeitadas as opiniões de todos os outros leitores que comentam no blog. Um crítico especializado de cinema é alguém que ganha a vida para escrever sobre cinema e dedica o seu dia a estudar a sétima arte, eu sou uma jornalista que escreve sobre alguns temas, incluindo cinema, porque me interesso por esse tipo de arte, sou frequentadora assídua e porque com base em tudo o que já li e vi até hoje na vida, considero que tenho algo a dizer, que posso contribuir com um debate justo, limpo e educado (sem levar para o lado pessoal, sem ofender, sem agredir). Um abraço e obrigada por participar da discussão!

  44. Joca  Says:

    Bom, eu acho que a história do filme é bem interessante, e a qual é na realidade o começo de algo talvez mais grandioso, porque já se fala de uma trilogia. É verdade, Avatar x3! Eu vi o filme duas vezes e não me importava nada de ver uma terceira vez. É uma experiência magnífica, com um enredo simples, é verdade, mas para a história que James Cameron quis contar, o enredo está perfeito, não se podia inventar algo mais complexo porque não se trata de uma história complexa, à maneira de Sherlock Holmes, etc. Portanto, não têm grande lógica as vozes “eruditas” que criticam o filme pela sua suposta fraca história. Dos fracos não reza a história, e o que é verdade é que AVATAR é um portento de filme que já está em segundo lugar como o mais rentável de sempre, só superado por Titanic. E é tudo.

  45. Andréia Santana  Says:

    Oi Joca, só um detalhe: Sherlock Holmes não é uma história erudita. Sir Arthur Conan Doyle criou, nos idos do século XIX, um personagem que pelos padrões atuais seria considerado bem pop. Inclusive, na sua época, escritores “eruditos”, torciam o nariz para Holmes e para qualquer aventura mais popular. Sabia que Daniel Defoe, criador de Robinson Crusoé, era considerado um escritor menor? Imagine! As aventuras de Sherlock são imortais, tanto que Guy Ritchie atualizou o mito, dando uma roupagem de filme de ação às aventuras do detetive e do seu assistente Dr. Watson. Quem está na faixa dos 30 anos, como eu, certamente vai lembrar de O enigma da Pirâmide, aventura que leva assinatura de Spielberg, de 1985, e narra a adolescência de Holmes. Ainda não fui assistir essa nova aventura de Sherlock dirigida por Guy Ritchie, mas prometo comentar aqui no blog assim que ver. Quem sabe teremos outro tema bacana de debates não é?

  46. Wagner Veloso  Says:

    Gostei muito do filme. Muito mesmo e recomendo a todos que assistam, pois a experiência 3D é fantááástica. Penso até em ver de novo. Agora, o enredo é bem fraquinho mesmo. Não esperava um Woody Allen, mas poderiam ter bolado uma historinha um pouco melhor… Titanic, neste ponto (enredo), foi muuuuito melhor.
    Um abraço,
    Wagner

  47. uberVU - social comments  Says:

    Social comments and analytics for this post…
    This post was mentioned on Twitter by celosantos: Meu #sobrinho @adrianomello me passou este blog falando sobre Avatar: http://tinyurl.com/yel84cu interessante leitura….

  48. Carlos A. C.  Says:

    Pois bem, realmente o assunto não terá fim, por mais que sejam profissionais ou “não” no quesito avaliação ou crítica, sempre o “gosto” pessoal interferirá no resultado…
    Sendo assim, aqui deixo minha avaliação (por meu gosto)
    Filmes policiais, não sou adepto pois é só assistir um noticiário, romance e drama são previsíveis demais, guerra é guerra rs nada a mais ou a menos rs, terror e suspense são previsíveis também mas bem produzidos ficam interessantes, ficção e fantasia nos tiram do mundo real (ótimo não é)…
    Gosto muito de filmes que nos tiram da realidade mas amarram o contexto com o mundo real… Guerra nas Estrelas por exemplo mostra muitas coisas, fé, democracia, queda da mesma por golpe militar e articulações politicas, etc.
    Por fim, diferente de filmes que preveem o futuro ou o fim do mundo (altamente previsíveis), Avatar tem muita coisa boa inrrustida como já dito por seus apreciadores, o filme tem muita fantasia, mostra a fraqueza do ser humano que para mim se resume a uma maldição = “Dinheiro” (ganancia), a causa de todos males e destruições, relembra o que fizeram com os índios nas colonizações, trabalha tolerância, racismo, respeito, romance, e muitas coisas que fariam me escrever por demasiado aqui rs…
    Resumindo, discordo gentilmente dos que não gostaram muito da história, pois não há muito o que mudar, o que fazer, temos que ter o tal começo meio e fim, para mim está perfeito, para todas idades, tem muitos gêneros no mesmo roteiro, bem elaborado, pois como já escrevi, trata de muitos assuntos e um roteiro assim é muito difícil de escrever, nota 10 em tudo.
    Abs

  49. Carlos  Says:

    Gosto não se discute, mas seu gosto é muito duvidoso…Acho que se você fosse produtora, iria passar fome!!

  50. Andréia Santana  Says:

    Será mesmo Carlos, que meu gosto é duvidoso por achar que Avatar é um filme mediano (nota 7 e não nota 10) e não concordar com a maioria? Sei não… prefiro acreditar que tenho senso crítico apurado e uma compreensão do ser humano grande a ponto de não achar duvidoso o gosto de quem ama este filme, mesmo não concordando. Quanto a ser produtora, nunca me passou pela cabeça, mas pode ser uma ideia, caso decida mudar de profissão. Um abraço!

Deixe seu comentário