Blog Archives


Universal lança DVD e Blu-ray de VIPs

postado por Andreia Santana @ 4:38 PM
25/10/2011

Wagner Moura teve aulas de pilotagem para viver o estelionatário Marcelo em VIPs

A Universal Pictures lança nesta quarta, 26, o DVD e o Blu-Ray do filme VIPs para o mercado varejista. A obra, inspirada na história real de um estelionatário que fingia-se de empresário famoso e celebridade, se tornou um dos filmes mais comentados de 2010. Em VIPS, Marcelo (Wagner Moura) assume diversas identidades e aplica seguidos golpes. Um dos mais conhecidos é quando finge ser Henrique Constantino, filho do dono de uma empresa de aviação, durante um Carnaval em Recife. Na ocasião, chegou a ser entrevistado no programa do apresentador Amaury Jr (que caiu na conversa do golpista). Marcelo circulou pelas altas rodas da sociedade. Foi preso diversas vezes e escapou outras tantas.

VIPS – Histórias Reais de um Mentiroro é baseado em livro homônimo de Mariana Caltabiano. O filme venceu o Festival do Rio 2010 e marca a estreia de Toniko Melo na direção de longas-metragem.

Ficha Técnica:

VIPS – Histórias Reais de um Mentiroso

Direção: Toniko Melo

Blu-Ray:

Formato de Tela: 16×9 Fullscreen

Áudio: DTS-HD MA 5.1 e Dolby digital 5.1 Português

Legendas: Inglês e Português

DVD:

Formato de Tela: 16×9 Fullscreen

Áudio: Dolby digital 2.0 e 5.1 Português

Legendas: Inglês e Português


Apocalypse Now ganha edição em Blu-ray

postado por Andreia Santana @ 1:14 PM
13/09/2011

Apocalypse Now é um clássico entre os filmes de guerra e na opinião de alguns críticos e cinéfilos, a obra definitiva sobre a Guerra do Vietnã. O filme, de 1979, dirigidopor Francis Ford Coppola, também é considerado a obra-prima do diretor. E para quem é fã da obra, a Universal Pictures lança Apolypse Now e Apolypse Now Redux (versão estendida), em Blu-ray, com alta definição. O preço sugerido do Blu-ray, contendo um disco com os dois filmes, é R$ 59,90.

Apocalypse Now é ambientado em 1969 e acompanha a viagem do capitão Benjamin Willard (Martin Sheen) rumo ao universo paralelo e perturbador do coronel Walter Kurtz (Marlon Brando). Ligado às Forças Especiais do Exército, o capitão Willard é enviado para a selva com a missão ultra-secreta de encontrar e assassinar o descontrolado Kurtz. Contaminado pelo clima denso da guerra, o coronel montou um exército próprio dentro da mata, opondo-se à guerrilha armada pelos norte-americanos. Conforme Willard e seus patrulheiros navegam pelo interminável rio Nung à procura do misterioso coronel, o poder alucinatório da guerra e a batalha contra a insanidade colocam em risco não só o sucesso da jornada, mas também o equilíbrio emocional dos envolvidas.

O filme ganhou os Oscars de melhor fotografia e som, embora tenha sido indicado em outras seis categorias, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator Coadjuvante para Robert Duvall. Também ganhou três Globos de Ouro, de diretor, roteiro e ator coadjuvante para Duvall, dois Baftas (para Coppola e Duvall) e a Palma de Ouro em Cannes.

Ficha técnica:

Apocalypse Now e Apocalypse Now Redux, EUA, 1979

Direção: Francis Ford Coppola

Elenco: Marlon Brando, Martin Sheen, Robert Duvall, Frederic Forrest, Sam Bottoms

Gênero: Ação

Duração: Apocalyse Now, 153 min., e Apocalyse Now Redux, 202 min.

Formato de Tela: 2.35:1 Widescreen Anamórfico

Áudio: DTS-HD master audio 5.1 e DTS Surround 2.0 Inglês (1979 e Redux), DTS-HD master audio Surround 2.0 Italiano (somente 1979), DTS-HD master audio Surround 2.0 Japonês (apenas Redux)

Legenda: Português, Italiano, Japonês, Dinamarquês, Holandês, Finlandês, Norueguês, Sueco

Sem material extra


O homem que engarrafava nuvens é lançado em DVD

postado por Andreia Santana @ 3:24 PM
19/08/2011

Nesta segunda-feira, dia 22, chega ao mercado de DVD o documentário O Homem que Engarrafava Nuvens, de Lírio Ferreira (Árido Movie), em lançamento da Biscoito Fino. O filme, produzido por Denise Dummont, conta a história do baião a partir da vida de Humberto Teixeira. O longa tem fotografia de Walter Carvalho, direção musical de Guto Graça Mello e videografismos de Gringo Cardia e Fabio Arruda. O Homem Que Engarrafava Nuvens ganhou ainda os prêmios de melhor roteiro e melhor som, no 19º Cine Ceará, realizado em julho de 2009, e o prêmio Oscarito, da Câmara Municipal de Fortaleza.

Ficha Técnica:

O Homem Que Engarrafava Nuvens

Roteiro e Direção: Lírio Ferreira

Produtora: Denise Dummont

Produção Executiva: Iafa Britz

Produção: Good Ju-Ju

Co-Produção: Total Entertainment & Asylum Films

Co- Produtores: Matthew Chapman e Daniel Filho

Diretor de Fotografia: Walter Carvalho

Distribuição: Biscoito Fino

Preço sugerido: R$ 44,90


DVD e Blu-Ray de Demônio chega ao mercado no dia 24

postado por Andreia Santana @ 8:11 PM
21/06/2011

O DVD e o Blu-Ray do filme Demônio chega ao mercado de venda no varejo em pleno feriado junino, dia 24. O filme de terror e mistério tem produção de M. Night Shyamalan (O sexto sentido, Corpo fechado) e um roteiro que flerta com a literatura de mistério de Agatha Christie.

O filme conta a história de cinco pessoas comuns, vivendo um dia aparentemente ordinário, que têm suas vidas viradas do avesso ao entrar em um elevador que simplesmente para de funcionar. O que os ocupantes do elevador não se dão conta é de que o Demônio está entre eles. O detetive Bowden (Chris Messina) está no mesmo prédio atendendo a um chamado de suicídio, e ao perceber os estranhos acontecimentos, tenta controlar a situação. O medo se instaura no elevador no momento em que a luz falta por instantes, e quando retorna, um dos ocupantes está morto. A desconfiança e o medo tomam conta de todos, que temem por suas vidas. Mas o que eles não sabem é que existe um motivo para estarem ali reunidos…

A inspiração para a produção do filme veio de um conto chamado Encontro com o Demônio, que conta a história do dia que o Demônio resolve vir à Terra na forma de um humano, para acabar com a vida das pessoas. O conto é citado no filme.

CONFIGURAÇÃO DO DVD:

Formato de Tela: 2.40:1 Windescreen Anamórfico

Áudio: Inglês, Português e Espanhol 5.1 Dolby Digital

Legendas: Inglês, Português e Espanhol

CONFIGURAÇÃO DO BLU-RAY:

Formato de Tela: 2.35:1 Windescreen Anamórfico

Áudio: Inglês, Português e Espanhol 5.1 Dolby Digital

Legendas: Inglês, Português e Espanhol

Preço sugerido: DVD – R$39,90 e Blu-Ray Disc – R$79,90


Obra reúne 100 anos de filmes com temática LGBT

postado por Andreia Santana @ 3:40 PM
16/06/2011

Uma obra que pretende ser referência para estudiosos de cinema e interessados em estudos culturais no geral, chega ao mercado editorial brasileiro como sendo a única no país que reúne resenhas dos filmes de temática LGBT produzidos nos últimos 100 anos. O livro, Cine arco-íris – 100 anos de cinema LGBT nas telas brasileiras (Edições GLS), do jornalista Stevan Lekitsch, traz mais de 270 resenhas de películas produzidas em diversos países, que giram em torno de personagens lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

Festil Diabólico, de Alfred Hitchcock. Homossexualidade dos personagens aparece de forma latente e subentendida

Ao todo, o autor levou dez anos pesquisando o tema e o resultado é, além de resenhas críticas, ficha técnica e curiosidades de bastidores dos filmes. A seleção inclui desde clássicos como Morte em Veneza até filmes polêmicos como Transamérica. O livro começa com uma análise histórica do surgimento do cinema, em 1895, e chega até o fim da década de 1940 – época em que não havia tanta liberdade para abordar a temática LGBT. Ainda assim, encontram-se boas surpresas, como o sinistro Festim Diabólico, de Alfred Hitchcock, em que a homossexualidade dos protagonistas fica apenas subentendida. Outro destaque é o drama histórico A rainha Cristina, estrelado por Greta Garbo, que faz o papel de uma monarca bissexual.

Nos anos 1950, com a relativa abertura vivenciada depois do fim da Segunda Guerra Mundial, os filmes começam a abordar a homo, a bi e a transexualidade de maneira mais ousada. É o caso, por exemplo, de Glen ou Glenda, do polêmico diretor Edward D. Wood Jr., que fala sobre travestismo e mudança de sexo – isso em 1953. Outro sucesso da época é A malvada, com Bette Davis no papel de uma atriz de Hollywood que mantém um relacionamento platônico com a secretária.

A partir da década de 1960, aumentam as produções de cunho LGBT, inclusive no Brasil, apesar da censura promovida pela ditadura militar instaurada em 1964. Um dos destaques mundiais é Satyricon, dirigido por Federico Fellini, que retrata as vicissitudes do reinado do imperador romano Nero. Na Itália, Pier Paolo Pasolini provoca escândalo com Teorema. Enquanto em terras brasileiras, Noite vazia, de Walter Hugo Khouri, está entre os destaques.

Mas é a partir dos anos 1970 que o cinema LGBT dá uma guinada. A liberação sexual faz com que a produção aumente progressivamente, chegando a mais de 5 mil filmes por ano. No Brasil, as pornochanchadas atingem o auge, alcançando grande sucesso de público. Entre as obras da época estão Calígula, de Tinto Brass, Um dia de cão, de Sidney Lumet – protagonizado por Al Pacino, excelente no papel de um homem que assalta um banco para pagar a operação de mudança de sexo do companheiro -, e As lágrimas amargas de Petra von Kant, dirigido por Fassbinder. No Brasil, O cortiço, de Francisco Ramalho Jr., e A casa assassinada, dirigido por Paulo Cesar Saraceni, rendem boas bilheterias.

Já na década de 1980, as produções LGBT aumentan no exterior e no Brasil, indo de O beijo no asfalto, baseado na peça homônima de Nelson Rodrigues, até O beijo da mulher-aranha, de Hector Babenco. Ao redor do mundo, gays, lésbicas, bissexuais e transexuais são retratados em películas de diversos gêneros. É o caso de Fome de viver, estrelado por Catherine Deneuve e David Bowie, que encarnam um casal de vampiros em busca de novas vítimas na cidade de Nova York. Na Espanha, Pedro Almodóvar destaca-se com a Lei do desejo, protagonizado por um ainda desconhecido Antonio Banderas. Outro destaque é Vítor ou Vitória, estrelado pela até então muito bem comportada Julie Andrews.

O Segredo de Brokeback Mountain. Obra ícone dos anos 2000 rendeu Oscar de melhor direção para Ang Lee

Nos anos 1990, o destaque da obra vai para Almas gêmeas, de Peter Jackson, protagonizado por Kate Winslet, excelente no papel de uma adolescente apaixonada – e correspondida – pela melhor amiga. Outro destaque é Filadélfia, que ousou ao mostrar um protagonista homossexual que enfrentava a Aids e rendeu a Tom Hanks o Oscar de melhor ator. É também a vez das comédias americanas, como Gaiola das loucas, protagonizado por Robin Williams, e Para Wong Foo, obrigada por tudo! Julie Newmar, com o galã Patrick Swayze no papel de um transformista.

De 2000 em diante, os filmes gays saem definitivamente da sombra e passam a concorrer de igual para igual com outras produções. Surgem películas engajadas, como Antes do anoitecer, que traz Javier Barden no papel do escritor cubano Reynaldo Arenas, e Milk – A voz da igualdade, que rendeu a Sean Penn o Oscar de melhor ator por sua atuação como o primeiro gay assumido a ocupar um cargo público nos Estados Unidos. O maior destaque da décadam no entanto, talvez seja O segredo de Brokeback Mountain, de Ang Lee, estrelado por Heath Ledger e Jake Gyllenhaal.

O autor - Stevan Lekitsch, 38, é paulistano e bacharel em Comunicação Social com especialização em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Já trabalhou em diversas mídias – tanto virtuais como impressas – voltadas para o público LGBT, como o portal Mix Brasil, a G Online, a OK Magazine e a G Magazine. Autor de dezenas de matérias sobre cinema, em 2005 adaptou para o teatro o livro O terceiro travesseiro (Edições GLS), de Nelson Luiz de Carvalho.

Ficha técnica:

Cine arco-íris – 100 anos de cinema LGBT nas telas brasileiras

Autor: Stevan Lekitsch

Editora: Ediçes GLS

Preço: R$ 65,90

272 páginas


*Com informações da Edições GLS