Opinião: Água para Elefantes

postado por A Tarde Online @ 6:01 PM
29/04/2011

“Água Para Elefantes”, de Francis Lawrence (Eu Sou a Lenda), combina o universo circense com a Grande Depressão Americana, dois contextos cheios de particularidades que formam um cenário capaz de enriquecer um triângulo amoroso à moda antiga. O filme também se propõe a levantar a reflexão sobre o maltrato dos animais em circos, mas sem a pretensão de dar lição de moral.

A história é baseada no best-seller de mesmo título, escrito por Sara Gruen, publicado em 2006. A autora é bem conhecida por abordar temas envolvendo animais. O livro chegou a ficar durante 12 semanas seguidas na lista dos melhores romances do New York Times. Mas foi em 2008, logo após realizar “Eu Sou A Lenda”, que o diretor Francis Lawrence abraçou a ideia dos produtores e assumiu a direção do projeto que levaria o romance de Gruen às telas.

Quem narra a história é Jacob Jankowski (Hal Holbrook), um senhor de 90 anos que vai ao circo após sentir-se solitário devido à morte da esposa e abandono dos filhos. Envelhecido e melancólico, Jacob se atrasa para o espetáculo e um dos administradores resolve ajudá-lo. Os dois conversam e, após uma breve reflexão sobre a idade, o velho homem narra a sua trajetória de vida, marcada pela crise econômica e pela paixão pelo circo.

Aos 21 anos, Jacob (interpretado em sua versão mais jovem por Robert Pattinson, da saga Crepúsculo, em atuação econômica), foi um estudante de veterinária que perdeu tudo: família e estudos, sobrando-lhe as dívidas do pai. Sem rumo e em um país mergulhado na crise, o jovem chega por acaso a um circo itinerante e é contratado como veterinário. Através do olhar deslumbrado do ator britânico, de 25 anos, o espectador será apresentado ao universo do Circo Benzini Bros.

Jacob se apaixona por Marlena (Reese Witherspoon, de Johnny e June), artista e esposa de August, o dono do circo, interpretado por Chris Waltz. Waltz mais uma vez encarna um tipo sádico e carismático, com semelhança inevitável ao coronel Hans Landa, de Bastardos Inglórios, que lhe rendeu o Globo de Ouro e o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, em 2010. Aos poucos, o espectador será apresentado à personalidade complexa e violenta de August, incapaz de controlar certos impulsos.

A direção não comete excessos. No entanto, a reconstituição de um país devastado pela crise econômica é amena em relação às adversidades. Essa carência de realismo é compensada pela atmosfera sombria do Circo Benzini Bros, explorada habilidosamente com o deslumbre causado por ter sido esta uma das poucas possibilidades de entretenimento da época, junto ao jazz.

A fotografia é assinada por Rodrigo Prieto (O Segredo de Brokeback Mountain e Biutiful). Especialista em retratar situações de crises – humanas e históricas -, o trabalho de Prieto na reconstrução é competente ao privilegiar a atmosfera escura e termina por cumprir um papel de reforçar os acertos da direção.

Vale uma atenção especial à direção musical do premiado compositor de trilhas sonoras James Newton Howard, muito bem utilizada para reforçar o contexto. O resultado é que a canção mostra o auge do jazz e a busca irresponsável pelo entretenimento, proporcional ao momento da crise. E é a voz da “Imperatriz do Blues”, Bessie Smith, que ilustra o inicio do romance entre Jacob e Marlena.

Narrado de forma tradicional, “Água Para Elefantes” é um filme sóbrio e com atuações medianas que não comprometem, mas fica a sensação de que a carga dramática não é compatível com o período histórico no qual a trama é ambientada. Apesar de se concentrar em um triângulo amoroso convencional, o trabalho é amparado pela boa direção de Francis Lawrence, que soube contar uma simples história sem parecer ultrapassado.

Tags: , , , ,

2 Respostas para “Opinião: Água para Elefantes”

  1. Gilbson  Says:

    Um dos melhores livros que eu já li, até hoje.
    Eu acho muito engraçado, quando o Sr. Jankowski comenta sua idade de 90 ou 93 anos de idade.
    Desde quando conclui a leitura do livro, fiquei sempre pesquisando se já estariam produzindo um filme, e sorte a minha que isso aconteceu.
    Eu espero que o filme seja bastante fiel ao livro, pois se não for, ficarei bastante decepcionado.

  2. Gizelly  Says:

    UM LIVRO QUE JAMAIS SAIRÁ DA MINHA VIDA E DE TODAS AS PESSOAS A QUEM JÁ EMPRESTEI QUE SÃO MUITAS, POIS FOI UM DOS MELHORES QUE JÁ TIVE O PRAZER DE CONHECER.
    O FILME É SIM MUITO FIEL AO LIVRO, E TAMBÉM ACHO QUE POUPARAM NO DRAMA MAS COMO JÁ DIZ É UM ROMANCE! E COMO TAL SE FEZ MUITO BEM COM O ATOR MAIS BADALADO DO MOMENTO NÃO QUERENDO APARECER MAIS QUE A HISTÓRIA, COMO CANSAMOS DE VER, NÃO QUE AJA MOTIVOS PARA, MAS VAI SIM UM PARABÉNS AO DIRETOR E ELENCO!

Deixe seu comentário